"O terapeuta do futuro não dará remédios, mas interessará os doentes nos cuidados com o corpo humano, a nutrição e nas causas e prevenções de doenças" Thomas Edson

 

Após o grande dilúvio, sob a égide da constelação de leão/ aquário, iniciou-se um novo ciclo cósmico de 25.900 anos.

Em uma terra cortada por um grande rio e protegida pelo grande deserto, foi dado início a uma nova civilização e os sábios construíram para toda a humanidade a primeira pirâmide em forma de esfinge, com a cabeça de um homem e o corpo animal. Acrescentaram a frase "decifra-me ou te devorarei".

Sua face está voltada para o leste e seus olhos fixam o ponto exato do nascimento do sol, deixando claro para a humanidade a primeira manifestação do Criador:

Haja luz - Há luz!

O corpo humano é um corpo animal ou a essência do reino animal. Traz em sua carne os genes do animal formador do corpo.

Quando sob tensão, pressão ou confronto, o instinto animal manifesta-se em emoções negativas.

Através da mente haverá domínio do corpo animal, permitindo o homem fixar-se nos estudos filosóficos, levando-o a luz da sabedoria e o retorno à sua individualidade cósmica - o espírito.

A Alimentação adequada ao biotipo fará com que haja, através dos processos bioquímicos, equilíbrio do instinto animal, ocasionando o domínio racional das suas emoções, libertando-o espiritualmente.

 

A BIOTIPOLOGIA ALIMENTAR

As doenças, Os Temperamentos e A Dieta Biotipológica

O homem, situado entre o céu e a terra, recebendo contribuição dos Cosmos, do Solo, representa produtos acabados dos fluxos de energia que se organizam e se integram em sistemas dinâmicos.

O corpo é energia que se organiza em matéria viva, numa escala que inclui do mais sutil (energético) ao mais denso (o somático). Vivemos num mundo material e também somos matéria. O mundo material é constituido por um conjunto de moléculas formadas de átomos. São energias condensadas.

Energia significa força, potência, capacidade de realizar trabalho. Dentro de cada átomo que nos forma há energia e as partículas que o compõem vibram o tempo todo, estão em movimento.

Tudo é vibração (energia). Nossos corpos também são feitos a partir da vibração de energia que emanamos constantemente. Somos pequenos pontos de moléculas em vibração coesa e contínua - o que nos dá a impressão de materialidade. Tudo no universo vibra, se movimenta em diferentes velocidades.

Fontes de energia: São cinco as fontes de energia que constituem o homem.

1. Energia Cósmica - Vibrações verticais captadas pelos sentidos e pelos pontos de energia.

2. Energia Ancestral - Partícula hereditária transportada nos gametas que formam o ovo fecundado (informação genética).

3. Vibrações Microcósmicas - Ondas horizontais a nível de indivíduos.

4. Respiração - Energia (prana) captada da atmosfera pelas vias respiratórias.

5. Alimentação - Energia solar concentrada nos alimentos mediante a clorofila e as bactérias do solo.

A energia segue padrões específicos de fluxo que determinam suas diversas funções e representam caminhos para a expansão do potencial evolutivo do organismo. Esses fluxos se propagam através de níveis distintos do corpo conforme as funções que desempenham.

Níveis de energia:

1. Ossos

2. Músculos

3. Vasos Sanguíneos e Linfáticos

4. Região Subcutânea

5. Pele e Aura

A energia (KI, CHI) desloca-se no nível subcutâneo através de linhas denominadas meridianos. Esses canais invisíveis e imateriais conduzem a energia diferenciada em diversas combinações YANG/ YIN, cujos fluxos se intercambiam alternante e complementarmente no corpo, constituindo um sistema responsável pela defesa, regulação e ressonância do organismo em relação às influências cósmicas.

Saúde é circulação adequada da força vital (energia) através de canais (meridianos) livres e desimpedidos.

As terapias milenares nos ensinam que não existe doença, mas sim um órgão energeticamente desequilibrado por uma emoção negativa. Quando os canais de energia que alimentam o órgão estão bloqueados, ele entra em processo de destruição, ou o que nós chamamos no mundo ocidental de doença.

Cada órgão do corpo humano está ligado ou reflete uma emoção.
Quanto mais negativa a emoção, maior o bloqueio, maior o desequilíbrio - doença.

Os órgãos/vísceras e as emoções

Pulmão - Tristeza/ Melancolia/ Preocupação

Intestino Grosso - Mágoa de Raiva

Estômago - Poder

Baço-Pâncreas - Perda Afetiva

Coração - Estresse

Intestino Delgado - Mágoa Afetiva (saudade)

Bexiga - Ódio/ Obsessão

Rins - Medo/ Insegurança

Vesícula Biliar - Ira/ Inconformismo

Fígado - Raiva

Hoje, a ciência contemporânea tem comprovado que a mente e o cérebro são independentes e que mesmo após a morte do cérebro, a mente continua a se manifestar. Compreendemos, também, que a mente tem a capacidade de alterar a matéria. Somos seres que pensam e os nossos pensamentos circulam por todo o nosso corpo e fora dele. O pensamento é energia que pode transmitir para o cérebro físico vibrações de nossos impulsos, emoções e sentimentos positivos e negativos.

Se apresento uma emoção negativa, gero um pensamento distorcido e posso criar uma molécula distorcida, aqui se dá o início de uma doença. A doença não nasce no corpo, mas sim nas emoções e pensamentos e se aloja no corpo por um desarranjo molecular. Pensamento é energia em alto grau de velocidade.

Vale citar Okuno, 1972 - Física para Ciências Biológicas e Biomédicas.

"O conceito de energia é fundamental no estudo da física do corpo humano.
Todas as atividades desde o pensamento, envolvem troca de energia. A energia, ao ser convertida em trabalho, representa uma parcela da fração de energia total gasta pelo corpo. Por exemplo, o corpo humano, em repouso, gasta energia na ordem de 100w, na manutenção dos órgãos, tecidos e células e, dessa energia 25% é consumida pelo esqueleto e coração, 19% pelo cérebro, 10% pelos rins e 27% pelo fígado e pelo baço".

 

OS TEMPERAMENTOS HUMANOS

Os egípcios, herdeiros de culturas mais antigas, desenvolveram no antigo Vale do Tebas a Teoria/ Filosofia dos 4 temperamentos, onde ensinavam que a humanidade está dividida em 4 grupos, 4 temperamentos ou 4 biotipos (não 4 raças, pois pertencemos todos a única raça humana).

Cada ser humano tem um temperamento próprio e ao mesmo tempo se identifica com um dos 4 grupos.

Conforme nos ensina o mestre Aurélio, temperamento é o estado fisiológico ou constituição particular do corpo. Constituição moral; conjunto de penhores; índole, caráter, temperamento.

Rudolf Steiner ensinava que o homem tem seu temperamento individual, seu modo de ser, de agir, de pensar e principalmente de reagir quando sob pressão; ao mesmo tempo se identifica ou se agrupa com outros seres, provando-nos que o temperamento deve ser algo ligado tanto ao mais íntimo cerne da essência humana como à natureza em geral.

A cultura grega, baseada na cultura egípcia, definiu os temperamentos com os nomes: -Sanguíneo, Colérico, Melancólico e Fleumático.

Hipócrates ensinava que o corpo humano produz diversos fluídos, porém que 4 fluídos básicos quando em desequilíbrio são causadores das doenças; a linfa - o sangue - a bile preta e a bile amarela. Os órgãos responsáveis por esses fluídos são os rins - fígado - coração e pulmão.

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) ensina que todo restante do corpo humano está ligado esses 4 órgãos, exemplo: queda de cabelos, problemas com os ossos, unhas, etc. são ocasionados por desequilíbrios energéticos dos rins.

Problemas musculares, com os olhos, neurológicos, etc. são desequilíbrios energéticos do fígado.

Problemas circulatórios, depressão, estresse, etc. são desequilíbrios com o coração.

Problemas respiratórios, pele, intestino grosso, etc. são desequilíbrios do pulmão.

Ao fazermos a ligação da Filosofia dos 4 temperamentos com a Medicina Tradicional Chinesa, observamos que cada temperamento está ligado ou ganha força em um desses 4 órgãos

Exemplo: Sanguíneo- Coração... Colérico-Fígado... Melancólico- Pulmão... Fleumático- Rins.

Também a MTC nos ensina que cada órgão está ligado a uma emoção, uma cor, uma estação do ano, um elemento da natureza, etc.

c d d dd dPulmão - elemento metal ou ar; emoção - tristeza, melancolia.
cddddd d Coração - elemento fogo; emoção - alegria.
cddddd d Fígado - elemento madeira; emoção - raiva, ira.
cddddd d Rins - elemento água; emoção - medo, insegurança.

Cada elemento da natureza está ligado, alimenta ou destrói outro elemento. A água alimenta a madeira e destrói o fogo - Os rins alimentam o fígado e destroem o coração.

Uma pessoa do biotipo fleumático ganha força nos rins e perde energia no coração.

As pessoas do biotipo sanguíneo ganham força no coração e perdem energia nos rins.

O biotipo colérico ganha força no fígado e perde energia no pulmão.

O biotipo melancólico concentra energia no pulmão e tem como órgão de choque o fígado.

Como cada órgão está ligado a uma emoção, a pessoa terá, quando sob pressão ou em momentos de tensão, reações emocionais de acordo com o órgão onde ele concentra energia.

A pessoa do biotipo Melancólico, quando em situação de pressão, stress ou confronto, reagirá com uma expressão ou adotando a fisionomia melancólica, fechando-se em concha e gerando desequilíbrios com o fígado, desenvolvendo anemia, etc.

O Sanguíneo, que ganha força no coração, sob stress ou situação de confronto, reagirá de forma stressante, gritando, bufando, causando desequilíbrios do fluído sangue.

O Colérico ganha força no Fígado, sob pressão reagirá com raiva, agredindo, matando, desenvolvendo desequilíbrios com o pulmão.

O Fleumático ganha força nos Rins, sob pressão adotará a expressão fria e calculista, desenvolverá desequilíbrios com os canais e gânglios linfáticos.

Adotamos os nomes:

Pulmonar para o biotipo Melancólico - energia do pulmão;
Cardíaco para o biotipo Sanguíneo - energia do coração;
Hepático para o biotipo Colérico - energia do fígado e
Renal para o biotipo Fleumático - energia dos rins.

 

ALIMENTAÇÃO BIOTIPOLÓGICA

Cada biotipo requer/ solicita uma alimentação específica, com a finalidade de equilibrar os órgãos e fluídos.

O corpo físico está ligado aos corpos emocional, mental e anímico (alma).

Ao equilibrarmos o corpo físico através da alimentação adequada ao biotipo, teremos também o equilíbrio dos outros corpos.

Somos energia e tudo o que fazemos demanda energia. Alguns alimentos, o processo digestivo é muito difícil e lento, temos que produzir muitas enzimas (ácidos, bile, etc.) gastamos muita energia na digestão, o custo energético é muito alto, porém o que se recebe ou o benefício é muito baixo - "gasto 100 para digerir e recebo 10 como recompensa".

Na verdade de alguns alimentos não recebemos nada, já que não são digeridos - são eliminados inteiros nas fezes.

"Se preciso me alimentar é porque necessito de energia, gasto mais energia com a digestão, gasto também energia para a eliminação dos resíduos, porém nada recebo em troca, com certeza meu organismo ficará mais debilitado, permitindo a entrada de vírus, bactérias, etc."

O organismo debilitado também não consegue eliminar as toxinas dos alimentos, que retidas, juntamente com a energia dispendida, levarão à destruição do processo bioquímico do organismo. A ciência definiu estes alimentos como biocídios (destruidores), é preciso afastá-los e trazer os alimentos biogênicos (equilibradores), onde o custo para digestão é baixo e o benefício é alto, "gasto 10 e recebo 100".

Estando o organismo limpo de toxinas e equilibrado energeticamente, não haverá doenças. O campo emocional que está ligado ao físico, também será equilibrado, libertando a mente das toxinas físicas e emocionais, fazendo com que os sentidos da mente (intuição, pensamento, sentimento e percepção) possam aflorar, permitindo que o ser anímico (alma) se encaixe no corpo físico.

Tudo nos leva a entender que não devemos ater somente aos valores nutricionais dos alimentos, mas principalmente ao custo energético para digeri-los. Por mais vitaminas, proteínas que os alimentos possam trazer, se não conseguirmos digeri-los corretamente, nada receberemos.

Sabemos também que cada alimento atua em um determinado órgão. Exemplo: se uma pessoa está anêmica, é comum indicarem fígado bovino já que a carne bovina atua fortalecendo o fígado.

A carne de porco pode estar quente e doce ao paladar, porém o corpo irá recebê-la como fria e salgada.

Já a carne de frango atua no coração.

Sabemos também que alguns alimentos são extremamente diuréticos, exemplo: o chuchu, a cevada (cerveja), o pepino, etc., atuam diretamente nos rins.

Outros alimentos são extremamente quentes, como gengibre, canela, açafrão, etc., fortalecerão o coração.

Já alimentos como pimenta, alho, cebola fortalecerão o fígado.

Conforme descrito, cada biotipo ganha força ou gera excesso de energia em um determinado órgão e perde força ou tem menos energia em outro órgão. É necessário escolhermos alimentos que fortaleçam os órgãos debilitados e alimentos que acalmem ou diminuam o excesso de energia dos órgãos destruidores.

Para o biotipo cardíaco que tem força ou excesso de energia no coração, vamos retirar os alimentos que fortaleçam esse órgão já que por excesso ele se torna destruidor ou o desequilibrador dos outros órgãos. Como este biotipo tem baixa energia de rins, indicaremos alimentos que fortaleçam os rins.

Em resumo, vamos retirar de sua dieta carne de frango, gengibre, canela, etc. e acrescentaremos alimentos como: carne de porco, hortelã, sal (o maior diurético da natureza), chuchu, cevada, etc.

Através da alimentação correta a este biotipo, teremos o equilíbrio energético.

O exemplo acima aplica-se aos outros biotipos. No caso do pulmonar vamos retirar os ácidos que fortalecem o baço que alimentam o pulmão acalmando a energia do pulmão (onde tem excesso) e iremos trazer alimentos com glicose para fortalecer o fígado (órgão de choque). Sendo a sacarose a maior fonte de glicose da natureza, e a cana o maior produtor de sacarose, o açúcar de cana para esse biotipo é excelente remédio.

SAÚDE e Vida Feliz é digerir corretamente os alimentos com um baixo custo energético e aproveitamento total dos nutrientes que fortalecerão as energias do corpo.

A chave para digestão correta e a promoção do estado saudável de um organismo tem relação direta com o temperamento que neste organismo manifesta-se mais incisivamente.

Portanto, o equilíbrio de cada biotipo está intimamente ligado à alimentação.

Descubra meios de viver com plena saúde física, emocional, mental e espiritual, além de equilibrar seu peso naturalmente sem recorrer ao uso de remédios e/ou produtos industrializados.

Informações:

(15) 9-8101-2002/ (11) 9-8529-7924